Um post longo, segurem as cuecas por gentileza, boa viagem.
Se tratando de podcast não posso dizer que sou tão leigo assim já que “entendo pouca bosta” de edição de áudio, entre outros métodos multimidiáticos (e lá vamos nós…), algo que tenho notado desde que conheço essa maravilhosa mídia é a capacidade de oferecer cultura para o ouvinte, neste caso o público alvo desta mídia, não pretendo explicar o que é ou como se faz um podcast mas sim trago este texto para reflexão de minhas experiências. Bom vamos lá então.


Podcast, começo meio e fim…

O podcast em si é uma gravação em formato de áudio oferecendo algum tipo de conteúdo. Podem ser notícias, recados, entrevistas, esta é uma mídia encantadora pela seu amplo espaço de aplicação.
Não vou retomar a história do podcast em si pois já temos artigos o suficiente na internet, como favorito tenho a palestra do Guanabara, que  é mais que uma aula.

O que há de mais interessante em um podcast é a qualidade da informação, mesmo que com um áudio onde brigamos com o volume por problemas de gravação ou edição por parte dos responsáveis temos uma avalanche de cultura bem aplicada. Claro que temos diversos tipos de podcast, onde vão de temas em específica a papo entre amigos sobre as cagadas da vida.

O papo de bar

Bom, como ouvinte posso afirmar que estes são os melhores, é uma caixa de surpresas dependendo do podcast, podemos ter cultura, assim como uma enxurrada de falação de merda como muito adoram.
Bater aquele papo sobre temas previamente pesquisados, ou não, é o que marca este tipo de podcast. Normalmente há um grupo fechado para o papo, com possibilidades de pessoas a serem entrevistadas e tal.
Mas o que define no final é que não há definição alguma por parte do pessoal ali no momento da gravação, isto é parte do efeito caixa de surpresas.

O podcast como ferramenta cultural

Acredito e muito na capacidade do podcasting, temos já muitos podcasts onde se fala sobre biologia, história, design, até mesmo como ser um empreendedor.
A tecnologia aliada ao conhecimento, isso é a cibercultura.
Na educação professores confessos tem  usado programas como Café Brasil para as aulas. É interessante como as coisas andam e mudam, mas não é tão fácil trazer do online para o cotidiano.
Normalmente os jovens não estão propostos a aceitar os que os professores indicam, em caso onde o poder reflita na decisão do aluno a recusa será maior em maioria.
No ensino regular os professores podem e devem inovar no seu método de ensino. Nem todos gostam de participar das aulas, mas com maior interatividade com certeza torna as aulas melhores.
Se xadrez consegue melhorar o desempenho de um aluno em matemática por que não podemos utilizar o podcast como ferramenta explicativa. Caso um aluno do Rio Grande do Sul tenha dúvidas sobre dinâmica, este poderia consultar no seu celular exemplo de aplicação da dinâmica, gravado por um excelente professor do Maranhão.

O podcast elimina fronteiras, agora precisamos eliminar a ineficiência da educação brasileira.

Como poderíamos ter tal aplicação do podcasting na sociedade? Nos vemos na parte 2  😉

Anúncios