O discreto charme da burguesia - cartaz

O discreto charme da burguesia – cartaz

Durante o século passado em situações muitos interessantes, designers pelo mundo conseguiam expressar suas ideias  além daquilo que realmente era proposto.
Este foi o caso de Yuri Bokser. Na Rússia com sua liberdade de expressão super restrita, o berço do construtivismo, os designers sempre viveram com parte de suas opiniões vetadas, não impressas, algo que realmente poderia fazer a diferença devido ao grau de criticidade apresentado pelo autor. Normalmente os pôsteres não impressos eram críticas duras e diretas contra Lênin, Stalin e Gorbachev.
Um dos cartazes mais famosos de Yuri foi para o filme de Luis Buñuel com o nome de O discreto charme da burguesia. Abandonando todo o construtivismo e enaltecendo o design polonês onde o grafismo conceitual era adotado no lugar, realizou uma obra de impacto muito forte para o público mas de maneira positiva, foi bem aceito tanto na Rússia como fora dela, o cartaz da fatia de salame no formato de um coração que nada mais representava que a própria Rússia.

Graças a este inúmeros outros cartazes tiveram que ser feitos com tal técnica “inovadora” e expressiva, designers russos passaram a fazer 30 cartazes anualmente cobrindo um buraco de 50 anos desde o surgimento do construtivismo. Isso não os fez que perdessem a identidade, apenas foi uma mudança dentro do paradigma cinematográfico.

Fonte:
Linguagens do Design – Steven Heller – Ed. Rosari 2004
Imagem: Google imagens
Resenha do filme: http://ads.tt/SOII